Os tênis e o empoderamento feminino

Os tênis e o empoderamento feminino

Uma nova era fashion

Estilo, conforto e praticidade assumem o lugar do considerado símbolo de elegância entre as mulheres: o salto-alto. Desde 2010, modelos como tênis, flatforms, slippers, mocassins e até mesmo chinelos slides ganham cada vez mais espaço no guarda-roupa (e na vida) das mulheres. Essa guinada fashion significa mais que o surgimento de uma trend, mas um símbolo do empoderamento femino: mulheres usam o que elas querem usar, o que elas se sentem confortáveis usando.

A tendência de roupas mais funcionais e confortáveis para o dia a dia também abrangeu os modelos de calçados. O estilo de vida da maioria mulheres hoje, já não comporta mais o uso de um sapato que, ainda que elegante, machuque e que traz diversas limitações para as atividades corriqueiras da rotina.

A história do salto

O salto entrou na vida das mulheres no século 19, e, mais tarde, durante o século XX, concretizou sua presença no armário feminino devido à influência de editoriais e fotografias do mundo fashion que definiram padrões de como seria a imagem ideal da mulher.

Os saltos-altos eram vistos como uma afirmação da feminilidade, valorizavam o alongamento da silhueta e empinavam o bumbum. Dessa forma, as modelos pareciam mais altas, “sexys” (porque, vamos combinar, esse é um conceito amplo) e encarnavam o padrão de beleza estabelecido.

 

O feminismo e a moda: empoderamento

O movimento feminista colaborou bastante para essa quebra de popularidade dos sapatos de salto-alto, questionando padrões que antes eram normalmente vistos como regra e abraçando o ideal de que as mulheres podem sim ter looks com estilo e conforto, sem precisar usar o salto para parecerem mais magras, altas.

As atrizes Julia Roberts e Kristen Stewart, representaram essa quebra de padrões recentemente chegando descalças ao Festival de Cannes em protesto à obrigatoriedade do uso da peça para as mulheres no evento.

Empoderamento Feminino - Cannes

Julia Roberts em Cannes

 

Horizonte comfy

Pesquisas confirmam que nos últimos anos as vendas do stiletto caíram, e por outro lado a procura por modelos saltos-baixo cresceram bastante. O WGSN, empresa especializada em pesquisa de tendências para o mercado, afirmou que essas peças já representam uma grande fatia do setor: 40%.

Contudo, não podemos afirmar que o salto-alto vá sair de moda ou perder o espaço total entre as prateleiras. A previsão é de que ele se torne um item opcional e não uma imposição como até pouco tempo se via.

Afinal, o importante mesmo é se sentir bem e confortável independente de qual seja a opção na hora de calçar.

Os tênis e o empoderamento feminino

Muv Molly